Alguém vai nos ajudar

Acredito na roda da compaixão, àquela ajudinha que você deu sem perceber e quem recebeu faz a mesma coisa com outras pessoas. Daí em diante, todos que entraram na roda são beneficiados. Isso acontece em muitas áreas da vida, seja na profissão, no amor,  na rua, na viagem….

Aprendi a gostar de ler jornal com as colunas do falecido e mestre Otto Lara Rezende, foi para mim um professor, acompanhei a coluna por muitos anos e consequentemente, apreciei a leitura dos jornais de outra forma. Cony (falecido recentemente) o substitui na altura, um escritor, um literato, um nobre na arte da escrita. Também me ensinou muito, pelo menos o prazer em abrir um jornal.

Por algum motivo, tenho lido as colunas na Folha do João Pereira Coutinho. Com formação em ciência política, fica à vontade em todas as áreas. Hoje, foi “A loucura da arte”, passeou em um tema que o aproxima de um artista. “é uma desistência, sim. Mas é, sobretudo, um ato de sobrevivência – como abandonar a droga que nos envenena docemente.” “A arte é a primeira paixão, apesar de todo o sofrimento. Como pode uma mulher (ou um homem) suportar a sombra do lugar secundário? Pela submissão. Ou, então, pelo abandono do criador.”

Termina a coluna indicando o filme  “Trama Fantasma” (Paul Thomas Anderson). “São os atores que elevam o filme a uma peça de câmara sobre a obsessão e a submissão como o cinema contemporâneo nunca viu.”